Uma mulher cuidando da pele do rosto

Conheça os principais tipos de ácidos para a pele

Do ponto de vista químico, os ácidos são substâncias com um comportamento específico, capazes de diminuir o pH de uma solução aquosa. Na Dermatologia, os ácidos são usados para diversos tipos de tratamento para a pele, proporcionando inúmeros benefícios. Por isso, procedimentos e produtos com ácidos são muito procurados por pacientes nos consultórios dermatológicos.

Essas substâncias podem ser usadas na esfoliação da pele, na eliminação de células mortas, no combate a cravos e espinhas, no estímulo à produção de colágeno e elastina, no combate ao envelhecimento precoce e ao aparecimento de rugas e no clareamento de manchas do sol, de acne e resultantes de melasma.

Pensando na diversidade desses produtos atualmente à disposição no mercado, reunimos neste post as informações sobre os principais tipos de ácido – suas características, vantagens, funções e cuidados requeridos. Continue a leitura e informe-se!


Ácido ascórbico (ou vitamina C)

Esta substância possui um alto poder antioxidante, é capaz de melhorar a textura da pele e de turbinar a proteção do filtro solar. Basicamente, a vitamina C ajuda a neutralizar a ação dos radicais livres, os vilões que oxidam as células, causando o envelhecimento precoce. Além disso, ajuda a clarear a pele e estimula a produção de colágeno, o componente que dá firmeza à cútis.

 

Retinol (derivado de vitamina A)

Este ácido também estimula a produção de colágeno, aumentando a firmeza da pele, e previne o aparecimento de rugas e linhas de expressão. Ele é utilizado em tratamentos para estimular a renovação celular. Além disso, deixa a pele mais fina e com tonalidade mais uniforme. Em menor concentração, pode ser usado em creme, loção ou gel, para quem pode esperar por resultados em longo prazo. Em maior quantidade, pode ser aplicado no peeling, com efeitos mais imediatos. As aplicações são sempre feitas no consultório, com intervalos de alguns dias entre as sessões.

 

Ácido hialurônico

Este ácido é um biopolímero naturalmente presente no nosso corpo, componente fundamental da nossa pele. Perdê-lo, o que acontece de forma natural com o passar dos anos, está ligado à perda de elasticidade e ao aparecimento de rugas e de linhas de expressão profundas.  Por isso, este composto está bastante presente em hidratantes e é utilizado em procedimentos como os preenchimentos de linhas finas, olheiras, maçãs do rosto e lábios.

 

Ácido ferúlico

Esta substância tem propriedades antioxidantes e clareadoras. Associada a outros antioxidantes, como as vitaminas C e E, auxilia na prevenção da vermelhidão, após a exposição ao sol, e previne o aparecimento dos sinais do envelhecimento precoce, ajudando a uniformizar o tom da pele. É utilizado nas fórmulas de cremes e géis.

 

Kójico

Derivado de substâncias presentes na soja fermentada, no arroz e nas uvas, o ácido kójico apresenta uma ação clareadora, sendo usado frequentemente para suavizar manchas do sol e os temidos melasmas, um problema de pele sem cura. O produto inibe a formação da melanina na pele (cujo excesso está associado às manchas) e, por não ser fotossensível, pode ser usado durante o dia, diferentemente de outros ácidos.

 

Ácido salicílico

Pertence ao grupo dos beta-hidroxiácidos (BHAs). Possui propriedades esfoliantes e seborreguladoras, ajudando a diminuir o espessamento da pele. Evita a contaminação de bactérias e fungos possui ação anti-inflamatória; promove renovação celular, removendo as células mortas e o excesso de oleosidade. São muito usados para tratamentos contra a pele oleosa e acneica. Em peelings, pode ser usado sozinho ou combinado com outros produtos.

 

PHAs

Os poli-hidroxiácidos (PHA) são ideais para quem tem pele mais sensível, pois não causam tanta irritação, uma vez que não penetram nas camadas mais profundas da derme. São indicados sobretudo para o tratamento da rosácea, uma doença inflamatória crônica da pele, que se manifesta principalmente no centro da face, causando vermelhidão.

 

Ácido dioico

Apresenta ação calmante e antibacteriana. Auxilia no clareamento da pele e na melhora do aspecto das imperfeições, como as manchas e as cicatrizes de acne.

 

Ácido cítrico

Muito presente em peelings químicos, é utilizado para promover a renovação celular e o clareamento da pele.

 

Ácido tranexâmico

Boa opção para o tratamento de manchas, principalmente as originadas por um processo inflamatório, como as de acne.

É importante frisar que, para que surtam os efeitos desejados, os ácidos devem ser usados estritamente de acordo com as indicações de um profissional habilitado. Reações como vermelhidão, pele seca e escamação podem ocorrer com o uso destes produtos, dependendo do tipo de pele do paciente. Por isso, tudo deve ser feito com acompanhamento médico ou de profissional habilitado.

Como qualquer dermocosmético, os ácidos devem ser mantidos bem fechados, abrigo do sol e das altas temperaturas. Alguns devem inclusive ser mantidos na geladeira.

Por último e muito importante, durante todo o tratamento com ácidos é indispensável o amplo uso de protetor solar – isso porque essas substâncias tendem a deixar a pele sensível e, assim, mais exposta à radiação solar. Nessa hora, conte com Safe Sea®, protetor solar que oferece alto fator de proteção contra os raios UVA e UVB e por isso é indicado para ser conjugado a diversos tratamentos para a pele, incluindo os tratamentos com ácidos. Saiba mais sobre os atributos deste produto único, clicando aqui.


Safe Sea® – Prevenção e proteção contra queimaduras de águas-vivas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *